Neste dia especial... 11 Abril... impõe-se-nos a ternura... aos nossos progenitores uma rosa e um poema...



CHORO DAS ROSAS

Fecham-se na noite fria
rosas imaculadas e singelas,
perdem no murcho a alegria
mas não deixam de ser belas.

O orvalho do nocturno relento
orvalhadas deixa as flores
que afagadas pelo suave vento
cintilam com variegadas cores.

Poisa o luar na noite estrelada
sobre jardim de flores mimosas,
seu brilho expande até à alvorada
e aviva o choro das lindas rosas.

Amanhece o dia em cantante aurora
e nos cerros desponta o sol a brilhar,
acorda a Natureza campos fora
e as rosas animam e param de chorar.

José Rafael
(Mais poesias do autor no blog Mira da Serra... é só clicar no link) Posted by Hello

1 comentário:

starmemory disse...

Só hoje é que vi e viquei de lagriminha a espreitar pelo cantinho ...
OBRIGADO